Brasil registra quase mil mortes por covid em 24 horas

21

Média móvel de óbitos é a maior registrada em mais de dois meses; vacinação segue sem data

Micrografia eletrônica do coronavírus em uma célula humana. – Fotos Públicas

Os registros de mortes pela covid-19 no Brasil chegaram a 964 em 24 horas nesta terça-feira (15), de acordo com dados do Conselho Nacional de Secretarias de Saúde (Conass). A média móvel de óbitos – soma de todas as confirmações dos últimos sete dias, dividida por sete, chegou a 663, maior patamar desde o dia 2 de outubro. O total de vidas perdidas para o coronavírus no país é de 182.799.

Por questões técnicas, o Amapá não repassou as informações mais recentes ao Conass. Portanto, o resultado observado nesta terça-feira (15) pode ser ainda pior. Nos últimos dois meses, o país registrou patamares acima de 900 em apenas duas ocasiões, fruto do represamento de dados de dias anteriores.

Não é possível afirmar que o cenário vai se tornar tendência, mas já era esperado reflexo da escalada de novos contaminados, observada há cinco semanas, nos dados relativos às mortes. Ainda de acordo com o Conass, a covid-19 já infectou 6.970.034 pessoas no Brasil. Entre segunda (14) e terça-feira (15), as confirmações de casos chegaram a 42.889.

Fora da realidade: Bolsonaro inaugura ponte em Porto Alegre e diz que pandemia está no “finalzinho”

A propagação do coronavírus no Brasil continua fora de controle, de acordo com análise do Imperial College de Londres, no Reino Unido. A taxa de transmissão observada na última semana é de 1,13. Dessa forma, cada 100 pessoas contaminadas têm potencial de infectar outras 113 e a relação cresce a cada novo grupo.

E a vacina?

Ainda sem aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para nenhuma vacina, o Ministério da Saúde divulgou que a campanha de imunização pode começar cinco dias após registro e entrega do imunizante. A informação é uma resposta ao Supremo Tribunal Federal (STF), que deu prazo de 48 horas no domingo (13) para que o governo detalhasse um cronograma.

No entanto, ainda não há nenhuma data de previsão para o início do processo. Existe a expectativa de que a campanha dure 16 meses. O período inicial, de quatro meses, seria destinado a grupos prioritários: idosos, profissionais da saúde e populações indígenas.

Para essa último grupo, no entanto, as doses só serão destinadas a cidadãos que residem em aldeias. A segunda etapa, para o resto da população, duraria 12 meses.

O anúncio oficial do campanha de vacinação está previsto para esta quarta-feira (15), às 10h. Em carta ao STF, a  Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) afirmou que o plano de imunização apresenta medidas “equivocadas”.

No texto, a entidade ressalta que o planejamento é de total responsabilidade do governo federal, em um protesto contra a inclusão de nomes de pesquisadores ligados à Associação.

“A participação dos especialistas na construção do ‘plano’ foi esporádica, pouco sistemática e variável”, diz a carta. Há críticas também ao formato do debate em torno do planejamento. “O ambiente proporcionado pelo MS nas reuniões foi pouco afeito ao diálogo e com orientações de sigilo, incompatíveis com uma prática de efetiva colaboração”.

Saiba o que é o novo coronavírus

É uma vasta família de vírus que provocam enfermidades em humanos e também em animais. A Organização Mundial da Saúde (OMS) indica que tais vírus podem ocasionar, em humanos, infecções respiratórias como resfriados, entre eles a chamada “síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS)”.

Também pode provocar afetações mais graves, como é o caso da Síndrome Respiratória Aguda Severa (SRAS). A covid-19, descoberta pela ciência mais recentemente, entre o final de 2019 e o início de 2020, é provocada pelo que se convencionou chamar de “novo coronavírus”.

Como ajudar quem precisa?

A campanha “Vamos precisar de todo mundo” é uma ação de solidariedade articulada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo. A plataforma foi criada para ajudar pessoas impactadas pela pandemia da covid-19. De acordo com os organizadores, o objetivo é dar visibilidade e fortalecer as iniciativas populares de cooperação.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome