Por respeito ao BNB e sua trajetória em prol do Desenvolvimento

332

Instituições devem ser preservadas e fortalecidas! O Banco do Nordeste do Brasil (BNB) não é moeda de troca! É sim, um Banco de Desenvolvimento que historicamente tem cumprido seu papel e assim prestado serviços relevantes à sociedade, pelas mãos de homens e mulheres que, comprometidos, não medem esforços para o cumprimento de tão nobre ofício.

Mas, lamentavelmente não é sob essa ótica que os agentes da velha política se pautam quando a matéria é reconhecimento, respeito e valorização a esse histórico. Vez em quando, em alguma situação de crise que se apresente, os poderosos de plantão – vazios de saídas sustentáveis e de políticas públicas equilibradas – se valem da velha prática nada republicana do “toma-lá-da-cá” e utilizam as instituições como peça de barganha para seus interesses mais mesquinhos. E isto tem sido recorrente em todas as conjunturas, independente da época, governo e segmento que esteja no comando do país. Também não é de hoje que a AFBNB manifesta contraponto a tal comportamento absurdo, por isto mesmo reprovável.

Há tempos que a Associação, por exemplo, preconiza que o BNB não é moeda de troca! E não é mesmo! É uma instituição séria, eficiente e eficaz em sua missão desenvolvimentista que, como outros bancos públicos, faz o diferencial na economia e na vida de pessoas, sobretudo em momentos difíceis, enquanto o setor privado, por outro lado, se fecha em si e se preocupa apenas em como manter seus lucros estratosféricos.

Em que pese a realidade de resultados positivos e inovadores, paradoxalmente está sendo pautado mais uma vez na imprensa nacional em matérias que dão conta de rifa nas direções de algumas instituições – entre elas o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, o Dnocs, além do próprio Banco – em um arranjo rebaixado para premiar partidos políticos como base de sustentação do governo no âmbito do Congresso Nacional. Tal atitude é um desrespeito ao Banco e à sua história de mais de 68 anos a serviço do desenvolvimento, aos trabalhadores, à região em que atua e ao povo.

A AFBNB repudia a atitude em qualquer momento, sobretudo no atual, em que o país e o mundo enfrentam uma situação de calamidade pública, de crise sanitária, em decorrência de uma pandemia que está dizimando a população e achatando a economia, com desafios urgentes para superação nas esferas municipal, estadual e nacional; na economia, na saúde e nas relações sociais.

Definitivamente, conchavos dessa natureza em nada contribuem para o país. No mesmo sentido, em nada contribuem para o fortalecimento institucional. Muito pelo contrário, só geram instabilidade, incerteza e situação de vulnerabilidade quanto ao momento em que a instituição passa, quando está levando a efeito o seu trabalho e trilhando a contento no cumprimento da missão para a qual foi constituída.

Relembre algumas matérias sobre o assunto:

Artigo: BNB NÃO É MOEDA DE TROCA!

Por respeito, a AFBNB reafirma: O BNB não é moeda de troca

Em defesa do BNB: instabilidade plantada, a quem interessa?

Artigo: “O BNB é bem maior”

Instabilidade política: a Associação reafirma defesa do BNB e dos trabalhadores

 

Pelo fortalecimento do BNB! 

BNB forte, Nordeste forte!

Gestão História e Autonomia para lutar – a AFBNB em ação sempre

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome